O que é Dwell Volume e Dead Volume e como eles interferem no desenvolvimento ou transferência do seu método por HPLC?

Vamos entender e calcular o dwell volume e o dead volume?

FASE REVERSA X FASE NORMAL: O QUE PODE DAR ERRADO?

Dra. Glaucia Maria F. Pinto Se você trabalha com HPLC já deve ter sido surpreendido várias vezes. Fases móveis diferentes, colunas diversas, condições inusitadas…e nem sempre toda essa diversidade funciona na primeira tentativa. Muitos são os desafios e as oportunidades de aperfeiçoamento e quando compreendemos, tudo finalmente dá certo e o resultado cromatográfico é maravilhoso.Continuar lendo “FASE REVERSA X FASE NORMAL: O QUE PODE DAR ERRADO?”

As principais vantagens do uso de ICP-OES e ICP-MS na determinação de impurezas elementares em medicamentos

Qual a melhor técnica para análise de impurezas elementares? Veja um pequeno comparativo

VOCÊ SABE O QUE É MIXED-MODE STATIONARY PHASE?

São fases estacionárias que permitem múltiplas interações (no mínimo com 2 tipos de mecanismos de retenção diferentes com o analito). Elas dão origem a diversas aplicações do que ficou conhecido como MM-HPLC e permitem obter separações diferenciadas, com excelente seletividade. Gostou desse conteúdo? Precisa de ajuda para desenvolver um método complicado? Gostaria de fazer umContinuar lendo “VOCÊ SABE O QUE É MIXED-MODE STATIONARY PHASE?”

Quais as vantagens de utilizar o detector de espectrometria de massas acoplado à cromatografia líquida ou gasosa?

As técnicas cromatográficas ganharam e merecem destaque entre as técnicas analíticas e o acoplamento com a espectrometria de massas trouxe várias vantagens importantes para os métodos cromatgoráficos.

Como escolher a membrana filtrante para sua amostra de HPLC?

São tantas as preocupações e necessidades de conhecimento na área de HPLC!!! 🤨 Devemos filtrar as nossas amostras, para prevenir contaminações, aumentar a vida útil da coluna e melhorar a qualidade da análise, MAS é necessário escolher bem a membrana de filtração a ser utilizada. 🤔 Algumas membranas podem ser incompatíveis com o meio (solvente/diluenteContinuar lendo “Como escolher a membrana filtrante para sua amostra de HPLC?”

DETALHES QUE FAZEM TODA A DIFERENÇA EM CROMATOGRAFIA: PARTE 1 – SEPTOS

Todos os consumíveis de HPLC/CG são de grande relevância e podem impactar o resultado de nossa análise de forma positiva ou negativa. Até mesmo o septo do vial que armazena e permite a injeção automatizada no sistema cromatográfico deve ser escolhido levando-se em consideração a melhor opção para atingir o resultado esperado: compatibilidade com osContinuar lendo “DETALHES QUE FAZEM TODA A DIFERENÇA EM CROMATOGRAFIA: PARTE 1 – SEPTOS”