O QUE É MAIS IMPORTANTE PROFISSIONALMENTE, A EXPERIÊNCIA PRÁTICA DE FATO OU O CONHECIMENTO TEÓRICO?

Após vários anos trabalhando em indústrias e também na interface desta com a área acadêmica, pude me deparar com a frase “preciso adquirir experiência em HPLC” muitas e muitas vezes.

Mas o que de fato importa nesta “experiência” necessária? Comprovar a habilidade que se torna automática em seguir as sequências corretas e chegar ao resultado previamente determinado?

Penso fortemente que não! Experiência operacional com cromatografia não é de fato o diferencial pretendido, uma vez que mesmo quem não cozinha também está apto a seguir uma receita de bolo.

É claro que a parte técnica, o que se aprende no dia a dia real conta e conta muito. Mas não é disso a que me refiro. Me refiro a urgência de considerar que o ensino da prática operacional, sequência de botões e etc realmente pode garantir a tal experiência em HPLC que se almeja. Ela sozinha só permite criar um operador e não de fato um analista.

Discordem de mim, por favor, e argumentem mas a minha resposta para a frase “preciso adquirir experiência em HPLC” é sempre uma pergunta: “mas você sabe o que é HPLC?”

Treinar um analista para executar a sequência correta necessária para a operação, até mesmo dos mais tecnológicos equipamentos, não é o ponto de fato desafiador. Leva-se um tempo para se habituar com a rotina técnica operacional mas isso é treinável de forma prática e quase automática com o uso contínuo. O ponto desafiador e que representa um diferencial para uma equipe de trabalho é ter analistas que conhecem a técnica de acordo com os “porquês” e o que deve ser feito quando o que está no procedimento não funciona. Isto é bem mais difícil de treinar, e, de fato, não é treino, é conhecimento adquirido com estudo e dedicação.

Saber quais os mecanismos de separação envolvidos, como ocorre a interação e a migração diferenciada causada pela disputa fase móvel x fase estacionária, saber distinguir as diferentes opções de fases estacionárias, fases móveis e características físico-químicas envolvidas no processo de separação, associadas com o “como fazer” ´significa de fato o diferencial e permite resolver os desafios do analista que utiliza o HPLC.

Se você, que almeja tanto “adquirir experiência em HPLC” tiver a sorte de encontrar quem lhe transmita anos de vivência associado com conceitos que expliquem os porquês e como, daí sim talvez possa, com a urgência que nos é habitual nos dias de hoje, adquirir a sonhada “prática em HPLC” sem ter que esperar anos para isso… Quem me conhece sabe o quanto eu gosto de falar sobre isso nos meus cursos e treinamentos!

E lembrem-se: um bom curso prático não significa curso que só ensina a operar um equipamento, mas sim um curso que discute como, porque e o que deve ser feito para alcançar os melhores resultados quando os desafios aparecerem. Só a teoria não nos salva, nem tão pouco só a prática operacional é de fato prática.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: